27 de jun de 2010

MARIANA

às junho 27, 2010 1 comentários
*- Ela tem 14 anos, pais separados, mora com a mãe, estuda e pensa muito em namorados. Parece com tanta gente conhecida, não é mesmo?


Só que essa aí é Mariana. Uma garota que resolve as coisas do seu jeito e nem sempre da maneira mais simples. Tem certos problemas comuns a todos os adolescentes, mas não quer que as amigas saibam. Para despistar, cria as maiores confusões e inventa muitas histórias com a ajuda de Jorginho. Mas o risco é grande... a qualquer momento ela pode ser desmascarada. Já imaginou no que isso vai dar? (*Créditos do Autor)




- Na epoca em que li Mariana, a cada palavra que eu ia lendo me identificava muito com ela. Era como se o autor estivesse escrevendo minha história. Tirando os pais separados. E isso aconteceu da mesmo forma com Any, o livro foi uma especie de 'dicionário' sabe? Em que agente ia buscando algumas dicas pra fazer as coisas. Mariana, foi meu primeiro livro de romance, livro que nunca vou esquecer. Sabe o jorginho é uma das nossas personagens que existe até hoje!
É um livro que vale a pena lê-lo sempre!

Meus Livros de Romances. A HISTÓRIA.

às junho 27, 2010 0 comentários
*
- Quando comecei a ler livros era ainda uma menina de sei lá, 11 anos. E já tinha a certeza de quais livros me interessavam: Eram os de Romances. Pra minha imaginação não tinham livros melhores! - Mas como na biblioteca da escola que eu estudava não tinha  livros de romances, lia os que tinham.E tinha de tudo: policial, literatura, terror, aventura, suspense, claro que nesses apareciam um pouco de romance aqui e ali, mas eram tão chochos. Não me recordo do primeiro livro que li. mas lembro que fiquei feliz por ter terminado.  Bom daí em diante desbandeei a ler livros. Todos. Menos romances. (risos). Foi quando na sexta série eu tinha 12 pra 13 anos. Eu e minha amiga Anny, inseparável até hoje! Adoro elaaa demais FOREVER, tivemos uma professora ótima por sinal chamada Vera Lúcia,o intuito dela era levar a leitura até nós e então fez um sorteio de livros, era assim, ela sorteava alguém e fazia uma pergunta, quem acertasse ganhava livros. Foi ai que se deu o acontecido, ela trouxe os livros, e logo de cara pus os olhos em um cujo nome era A HORA DO AMOR - de Álvares Cardoso Gomes.Perfeito para o meus romances que eu imaginava, "é aquele" eu pensava a cada sorteio,e o sorteio se passava, os meninos que eram sorteados pegavam os que estavam em cima, era um alivio!! mas as meninas pra meu azar fuçavaam o monte que tinha a frente delas. e Caaaraamba!! Meu nome nunca chegava. Putz.  Sobrou eu e uma colega, e o LIVRO!  e a prof chamou ela. Ela acertou e pegou o livrooo. Minha alma doeu, baixei a cabeça incoformada, não pude acreditar naquilo, eu ansiava pelo livro, foi quando Any me disse: Paty, ela deixou o livro. Nossa!!! que sorte a minha, ela escolheu outro. que eu li também e era ótimo, mas não tão bom quanto A HORA DO AMOR, que foi meu!!! acertei, ganhei, uma vitória justa, lutei por ele e ganhei!!! Li, reli e o tenho até hoje.
- Vou falar dele sim, mas não agora, vou falar do meu PRIMEIRO LIVRO DE ROMANCE que li, o antes do meu, foi o de Anny o que ela escolheu no sorteio sabe? PERFEITO...
- Se chamaa MARIANAA, curtiu o nome? Vai adoorar o livro!

25 de jun de 2010

Mudar por ele. ?

às junho 25, 2010 0 comentários
Garota,
entenda que a vida é muito mais do que ele,aprenda a sofrer e a bater também,entenda que é a sua vida antes da vida de vocês,brigas existem e decepções mais ainda,não deixe que as palavras "eu nunca te traí" intimidem você,a vida é uma caixinha de surpresas,perca coisas para poder conquistar outras,mas nunca abra mão de sua liberdade,depois de sua mãe,ela é a coisa mais importante,só quem a perde sabe o valor.Não deixe a paixão virar "medo de perdê-lo", não se acomode,podemos muito mais do que imaginamos,confie nos seus sentidos,e não deixe de fazer nada.Não coma por raiva,nem deixe de comer também,ele não merece que você engorde nem muito menos morra por ele. Niguém tem de morrer por você, e ninguém muito menos tem que viver por você. Levante-se, o mundo é feito de altos e baixos ... loiros, e tem cada moreno! Divirta-se! Só você sabe a hora de mudar.

22 de jun de 2010

- Você é meu Príncipe

às junho 22, 2010 0 comentários
- meu melhor amigo, meu bobo, meu anjo, meu amor, meu vício, minha razão, meu tudo. Nunca eu poderia imaginar que iria tão longe com você. De alguma maneira você é diferente do que eu conheçi, você me encanta, seu jeito doce de me agradar me deixa rindo a toa, sua facilidade de me surpreender.. cada dia ao teu lado aumenta a certeza do meu sentimento, e que eu não posso mais viver sem você.






Você é meu príncipe. Depois de tantos amores estranhos, pequenos, errados e tortos, finalmente eu reconheci no seu olhar centralizado e no seu sorriso espalhado... o meu princípe.





                                               
Porque quando Deus me mostrou você,sabia a porção exata do que faltava em mim.
Cada parte,cada canto do meu coração tem alguém. E você é o pedaço que faz com que ele seja mais bonito.




 -   Ao meu Amigo Oculto || O meu Príncipe ||

20 de jun de 2010

às junho 20, 2010 2 comentários











- Hoje tive um papo com minha amiga (futura madrinha, qndo eu casar, SE..) e o assunto foi : CASAMENTO.

É sempre um assunto delicado. Em minha defesa, aviso: sou romântica. Acredito que uma vida sem amor é uma vida árida, e não estou me referindo a amor pelos filhos, por amigos, por cachorros. Estou falando de homens e mulheres que nunca se viram ou se viram até que um dia, uau. Acontece.

E tem mesmo que acontecer. Não se pode desistir de amar por causa da propaganda contra: amor não dura, amor vira amizade, amor faz sofrer. Tudo verdade, mas e daí?

Acho que de tanto as pessoas desacreditarem do amor, ele acaba por não existir, eu me defendo e acredito que ele exista sim. Agente não arrisca as fichas em tantas coisas? Pois bem, eu arrisco no amor!!. E apesar de tantas desilusões acontecerem, não devemos esquecer que uma hora ou outra ele chega, ou já tenha chegado a algum tempo e nós não o vimos.
- Dizem que casar é complicado. Pô, é complicado e a maioria vive casando quase todos os dias neh? Casamento é bom sim, eu acredito. As pessoas que estão cada vez arrogantes, prepotentes, não tem mais amor, nem se apaixonam todo dia pelo esposo e/ou pela esposa.
Casamento é a união dos laços, unir amor, fidelidade, compromisso, respeito. Não unir conta de luz, gás, apartamento, etc, etc..
Acho que casamentos iguais ao de antes existem pouco. Mais existe. Amor que não se mede. Amor que é pra vida toda!

 Em homenagem a Tercila, minha futura madrinha de casamento!




- Por TiciahBrito









18 de jun de 2010

O meu Amigo 'oculto' I

às junho 18, 2010 4 comentários



- Uma história que sei onde começa. E não tenho mais certeza onde irá terminar. Quando nos conheçemos eramos apenas crianças. Colegial, eu umas duas series a mais que ele. Ele mais novo do que eu. Nasceu ali uma amizade. Sem fim. Ele era um chato, ia na minha casa todos os dias. E eu inventava uma história de afazeres que eu tinha, só para ele ir embora. Ele ia. Mais no outro dia voltava. E assim prosseguimos mais um ano. Estavamos sempre juntos. Minhas amigas perceberam que ele gostava de mim. Eu também, mas fingi que não. Um menino , chato, cheio de sí(Era o que eu sempre pensava). Mais eu gostava de sua compania. Dois anos se passaram. Iamos a festas. Aniversários. Sorveteria. Cinema. Enfim, Diversões. Não conseguiamos nos separar. Ele adorava mecher nos meus cabelos. Seus olhos mudavam de cor toda vez que o fazia rir, ora verde, ora castanho, ora uma cor que eu não sabia decifrar, mais sempre olhos brilhantes e lindos. Três anos se foram e eis que veio a declaração. Apaixonara-se por mim. De alguma forma eu sabia que aquela hora ia chegar. Mais evitei-a ao máximo. Eu coloquei mil e uma desculpas, que aquilo não daria certo. Ele disse que daria sim, era só eu querer. Eu não queria, disse isso a ele. Ele baixou os olhos. E disse que não ia desitir. Acho que meses se passaram. E ele me disse de novo. Eu prefirir dizer que não era pra ele repetir essa história, para não rompermos a amizade. Ele concentiu, mais volta e meia dava umas afinetadas. Quatro anos se passaram. E mais uma vez, um dia depois de uma festa que vinhamos, ele repetiu toda a história. Eu disse que não, que eu não gostava dele como ele queria. Eu disse aquilo e me senti mal. Afinal, eu gostava dele? Depois de um certo momento de silencio ele me disse: " Tantas coisas você faz comigo, me esnoba, até um namorado seu eu suportei, e ele não te deu o devido valor. Acho que você não sabe olhar quem te valoriza. Um dia eu vou parar de insistir, e você vai sentir falta"... Cinco anos se passaram. Ele parou de insistir.




Por ThiciaB.
(Uma História ficticia, qualquer semelhança é mera coincidência)


                                                          Continua...

8 de jun de 2010

Uma Certa Menina || Lilly ~~

às junho 08, 2010 1 comentários

-
- Repare bem. Por detrás do semblante inquiridor e sério, ela ainda é uma menina, embora desde sempre tenha visto a si própria como adulta. Acha que nasceu assim, madura, responsável, senhora de si. Nada de infância, esse tempo de brinquedos, levezas e confianças ingênuas, mas sim a obrigação de dar exemplo aos outros, de ser líder, vitoriosa em tudo. Foi como se a voz do destino tivesse precocemente ordenado a ela: seja independente, se vire! Ora, meu senhor, ninguém que receba um pesado fardo tão cedo na vida vai valorizar jovialidades infantis. Por isso a menina parece tão sisuda.

Quem a conhece de perto, já se acostumou com seu jeitão algo autoritário, de quem não tem tempo a perder. Todo mundo entende quando ela é ríspida ou fria. Afinal, todo mundo sabe o que ela enfrentou, a tirar leite de pedras e a suar no sol e nas forjas. Sem reclamar, ela topou o desafio do destino. Fez-se a melhor. De repente, todos os irmãos dependiam dela. De repente, todos os objetivos dessa tinhosa menina já tinham sido atingidos. Já era uma menina rica. Mas pensa o senhor que ela parou? Qual o quê!

Pelas agruras de seu próprio caminho, a menina nunca aprendeu a relaxar. Quem vai dar atenção a limites sutis, cansaços e desejos tolos, quando a regra é superar e vencer sempre? Há que se calar a voz de dentro, pois fracos são os que perseguem coisas que não enchem barriga. Foi aí que a menina ficou refém de seu próprio projeto. Tornou-se melindrosa, vaidosa ao extremo. Passou a necessitar de títulos, honrarias, reconhecimentos. Passou a compensar as frustrações íntimas com competições de toda ordem. E, veja o senhor, essa menina tão prudente tornou-se insensata: algo nela não suporta ver alguém à frente, até no trânsito...

Tadinha de nossa judiada menina. Em mais um aniversário, tomara ela se permita o presente de entregar-se a si própria e aceitar-se como a menina carente que é. Tomara despreze números, negócios e politicagens e simplesmente celebre a alegria de viver, no presente, feito criança.
(Autor: Nivaldo Pereira)
- Em Homenagem a Lilly, uma certa menina que eu admiro, por sua veracidade sempre; por sua fidelidade a tudo que faz; por seu amor as coisas mais simples; és um exemplo de menina! Te Adoro Muito//
 

Risos e Amoresㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤㅤㅤ ㅤㅤ ㅤㅤㅤㅤ Copyright © 2012 Design by Amanda Inácio Vinte e poucos