8 de jun de 2010

Uma Certa Menina || Lilly ~~


-
- Repare bem. Por detrás do semblante inquiridor e sério, ela ainda é uma menina, embora desde sempre tenha visto a si própria como adulta. Acha que nasceu assim, madura, responsável, senhora de si. Nada de infância, esse tempo de brinquedos, levezas e confianças ingênuas, mas sim a obrigação de dar exemplo aos outros, de ser líder, vitoriosa em tudo. Foi como se a voz do destino tivesse precocemente ordenado a ela: seja independente, se vire! Ora, meu senhor, ninguém que receba um pesado fardo tão cedo na vida vai valorizar jovialidades infantis. Por isso a menina parece tão sisuda.

Quem a conhece de perto, já se acostumou com seu jeitão algo autoritário, de quem não tem tempo a perder. Todo mundo entende quando ela é ríspida ou fria. Afinal, todo mundo sabe o que ela enfrentou, a tirar leite de pedras e a suar no sol e nas forjas. Sem reclamar, ela topou o desafio do destino. Fez-se a melhor. De repente, todos os irmãos dependiam dela. De repente, todos os objetivos dessa tinhosa menina já tinham sido atingidos. Já era uma menina rica. Mas pensa o senhor que ela parou? Qual o quê!

Pelas agruras de seu próprio caminho, a menina nunca aprendeu a relaxar. Quem vai dar atenção a limites sutis, cansaços e desejos tolos, quando a regra é superar e vencer sempre? Há que se calar a voz de dentro, pois fracos são os que perseguem coisas que não enchem barriga. Foi aí que a menina ficou refém de seu próprio projeto. Tornou-se melindrosa, vaidosa ao extremo. Passou a necessitar de títulos, honrarias, reconhecimentos. Passou a compensar as frustrações íntimas com competições de toda ordem. E, veja o senhor, essa menina tão prudente tornou-se insensata: algo nela não suporta ver alguém à frente, até no trânsito...

Tadinha de nossa judiada menina. Em mais um aniversário, tomara ela se permita o presente de entregar-se a si própria e aceitar-se como a menina carente que é. Tomara despreze números, negócios e politicagens e simplesmente celebre a alegria de viver, no presente, feito criança.
(Autor: Nivaldo Pereira)
- Em Homenagem a Lilly, uma certa menina que eu admiro, por sua veracidade sempre; por sua fidelidade a tudo que faz; por seu amor as coisas mais simples; és um exemplo de menina! Te Adoro Muito//

Um comentário:

  1. Eiee,simplesmente Perfeitoo .
    Sabe que o que sinto por você é um sentimento real,o mais puro e sincero.
    Mistura de amor,amizade,respeito, amizade ...
    Amizade: sentimento que tem o poder de vencer todas as diferenças . Amoo-te, Saudades . Beijo enoorme ♥

    ResponderExcluir

Comente. E Que Seja Doce. (: