2 de out de 2010

Um homem também chora, Menina morena. Também deseja colo. Palavras amenas...
Precisa de carinho. Precisa de ternura. Precisa de um abraço. Da própria candura...
Guerreiros são pessoas. Tão fortes, tão frágeis. Guerreiros são meninos. No fundo do peito...
Precisam de um descanso. Precisam de um remanso. Precisam de um sono. Que os tornem refeitos...
É triste ver meu homem. Guerreiro menino. Com a barra do seu tempo. Por sobre seus ombros...
Eu vejo que ele berra. Eu vejo que ele sangra. A dor que tem no peito. Pois ama e ama...
Um homem se humilha. Se castram seu sonho. Seu sonho é sua vida. E vida é trabalho...
E sem o seu trabalho. O homem não tem honra. E sem a sua honra. Se morre, se mata...
Não dá prá ser feliz. Não dá prá ser feliz...
É triste ver meu homem. Guerreiro menino. Com a barra de seu tempo. Por sobre seus ombros...
Eu vejo que ele sangra. Eu vejo que ele berra. A dor que tem no peito. Pois ama e ama...
E sem o seu trabalho. O homem não tem honra. E sem a sua honra. Se morre, se mata...
Não dá prá ser feliz. Não dá prá ser feliz...
(Um Homem também chora- Gonzaguinha)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente. E Que Seja Doce. (: