10 de mai de 2011

Então... até (...)


Aquela foi a frase que mais doeu.
- Então até... 
- Até...
Foi o que eu pude dizer, soltando sua mão(não tinha coragem suficiente de dizer o que eu sentia, ou pelo menos voar em seu pescoço e pedi-lhe que ficasse ali, comigo) nada mais restava, alias restava, um buraco enorme em meu coração.
A dor de saber que em breve ele partiria, foi cavando cada vez mais profundo, um buraco gigantesco. Ele soltou a minha mão.
...palavras minhas querendo sair pela garganta...
E assim ele partiu, deixando-me para trás, com um sorriso no rosto e um coração já cheio de saudades, sentimentos transbordando e uma alma vazia...

Patrícia Britto

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente. E Que Seja Doce. (: