12 de mar de 2011

Cartas para Jordan.

 - 1985


Querido Jordan


Não é que me incomode. Só me afeta. Não sei de que forma, nem sobre que aspecto, mas me afeta. Me dá uma borboletação estranha na boca do estômago, faz meus olhos lacrimejarem. Mas mesmo assim, não me incomoda. Só me afeta.


Já algum tempo desde a minha visita a sua tia Louyse, o meu inconsciente fugia dessa responsabilidade de todas as formas. Mas ontem mesmo eu tomei uma atitude gigantesca e decidir ir até a missa que haveria de começar ás 20:00 horas. Ao chegar frente a Igreja me senti um pouco amedrontada, mas tinha razão, era apenas um lugar que eu nunca fora, e todos sentem-se assim em algum lugar...
Bom Jordan, por mais que fosse aquela igreja um lugar que eu nunca fora, tudo alí me pareceu tão familiar, sentia que eu ja tinha participado daquela realidade, era um momento de lembranças que passava por mim. O som do órgão despertou-me dos pensamentos, trazendo a mim e a todos os fieis franceses as nossas orações pessoais. Estava assim a orar, quando alguém aproximou-se e tocou meu ombro, fazendo com que meu véu caisse ao chão, abaixai-me para pegar, e quando levantei para ver a pessoa ao qual tinha me tocado, não havia mais ninguém ali, estranho? Sim. Muito. Eu deveria ter ficado com medo, mais não, me senti mais encorajada e mais forte!  
No momento que virei para a frente para olha a cerimônia que acontecia, senti um vulto escondido atrás da pilastra, devia ser a pessoa que me tocou no ombro, pensei. E muito levemente para que ninguem me olhasse feio, andei em direção ao banheiro, senti que a pessoa fugia de mim, pois quando me aproximei da pilastra ela fugiu em direção a porta da saida, disfarçadamente segui-a, mais quando cheguei a porta não havia mais ninguem. A pessoa ao qual penso que me tocara, se embrenhou a noite a dentro da cidade luz, pelos corredores mais escuros. Talvez fosse um apenas um fruto de minha imaginação alguem que tocasse meu ombro, mais o que explicar do meu véu ao chão? Possa que tenha sido o vento. Mesmo assim, era como se eu a conhecesse...
E assim voltei para a Igreja, e mais uma vez lá dentro, olhei para cima da igreja, onde esta guardava seus mais preciosos tesouros, como l´Anunciacion que olhava de soslaio, como se percebesse que eu precisava de ajuda... E assim, parada olhando para I' Anunciacion que tentava vir ao me socorro, a frase dita pelo Padre, escoou pela igreja, atingindo meu coração e fazendo que minhas lágrimas corressem urgente de meus olhos...
" Por que sofres assim? Por que te permites viver na sombra da dúvida? Talvez sinta-se até só, ou então você permite se sentir mais longe para não sofrer tanto, mais esse sofrimento depende de você pra acabar... Corra atrás daquilo que só te faz bem...
' Regozijai-vos no Senhor justos em fé. Louvai-o todo dia com sua alegria. Porque é justo e soberano o nosso Deus. Tão cheio de carinho e de amor para com os seus.' "


Sim eu precisava mais do Meu Deus soberano...




Com mais Saudades ainda: Sophie.






P.s Sinto uma falta absurda de você.




France, 12 de maio de 1985.



Um comentário:

Comente. E Que Seja Doce. (: